Futebol burocrático e sonolento da Dinamarca

A Dinamarca marcou bobeira ao ceder o empate para a Austrália nesta quinta-feira,  por 1 a 1, após cometer um pênalti para lá de infantil, apontado com a ajuda do árbitro de vídeo, quando vencia por 1 a 0, pelo grupo C da Copa do Mundo.

O time europeu não soube aproveitar a superioridade técnica e, assim como muitas seleções neste Mundial, apresentou um futebol burocrático. Não conseguiu furar a retranca australiana e desperdiçou grande chance de encaminhar a classificação.

Agora, na última rodada, terá que decidir a vaga contra a favorita França. A Austrália, por sua vez, fez um bom segundo tempo e ainda segue viva por uma vaga.

Sofrimento espanhol e vaga mais perto

Jogadores da Espanha comemoram a vitória. Foto: Divulgação

Se não fosse o árbitro de vídeo, a Espanha teria tropeçado diante do Irã nesta quarta-feira. Porém, venceu por 1 a 0 e viu o adversário ter um gol anulado por impedimento após o juiz consultar o VAR.

O resultado do time espanhol foi bom, pois os deixa mais próximos da classificação. Mas a atuação ainda está bem abaixo do que se espera de uma das favoritas ao título. Mais uma vez, Diego Costa deixou sua marca. O brasileiro naturalizado mostra estar em grande fase e poderá, sim, ajudar a Espanha a buscar a classificação.

O Irã, por sua vez, também se mantém vivo, mas terá que passar pelo bom time de Portugal. Os iranianos mostram qualidade e bom trabalho tático nas mãos do técnico Carlos Queiroz.

E a Espanha defenderá a classificação em jogo contra Marrocos, que já está eliminado.

Grupo A é o primeiro a definir os seus classificados: Rússia e Uruguai

Longe de uma atuação empolgante, o Uruguai venceu a fraca Arábia Saudita por 1 a 0, com gol do artilheiro Luis Suárez. Assim, o grupo A da Copa do Mundo é o primeiro a definir os seus dois classificados, com uma rodada de antecedência. Como a Rússia já havia vencido o Egito na terça-feira por 3 a 1, russos e uruguaios chegam aos 6 pontos e não podem mais serem alcançados.

Agora, Rússia e Uruguai vão decidir o primeiro lugar da chave na última rodada, com vantagem do empate para os donos da casa, que têm um saldo de gols muito melhor. Do outro, resta uma despedida melancólica no encontro entre dois países árabes, que vão buscar os primeiros pontos para ao menos se despedirem de cabeça erguida

Luis Suárez comemora gol uruguaio. Foto: Fifa/Divulgação

Quanto ao desempenho da Celeste Olímpica, eles estão deixando a desejar na Copa, mesmo com a classificação assegurada. Passou muito sufoco contra os egípcios na estreia, marcando o gol da vitória apenas nos acréscimos. E, agora, contra os sauditas, fizeram um futebol burocrático, o suficiente para vencer. Mas é muito pouco para uma equipe tão tradicional no futebol mundial.

Portugal vence e Cristiano Ronaldo brilha de novo

Portugal teve uma atuação longe de ser brilhante contra Marrocos, nesta quarta-feira, pelo grupo B. Mas a vitória por 1 a 0 foi importante para deixar o atual campeão europeu mais perto da classificação para a segunda fase. Basta vencer o Irã, na última rodada, para não depender de nenhum resultado. Talvez até um empate já seja suficiente.

E, em campo, mais uma vez Cristiano Ronaldo fez a diferença. Abriu o marcador logo aos 5min, de cabeça. Foi o quarto gol do CR7 no Mundial, artilheiro disparado.

Os marroquinos, que já haviam perdido na estreia para Irã, já estão sem nenhuma chance de classificação. Vão apenas cumprir tabela na rodada final, contra a Espanha.

Cristiano Ronaldo marcou o primeiro gol português. Foto: Fifa/Divulgação

Rússia virou uma máquina de fazer gols

Muita gente desconfiava do potencial da seleção da Rússia, mesmo jogando casa. Mas, em duas rodadas, conquistou duas vitórias e marcou oito gols Está certo que os adversários não eram tão fortes – Arábia Saudita e Egito – mas fez o dever de casa e agora está praticamente classificada para as oitavas de final.

Nesta terça, contra os egípcios, os russos tiveram dificuldade no primeiro tempo, mas após o intervalo deslancharam. Cheryshev marcou um gol e já é artilheiro da Copa com três gols, ao lado de Cristiano Ronaldo.

Claro que, dificilmente, a equipe da casa vai brigar pelo título, já que existem outros times bem mais fortes. Porém, ao menos não vai dar vexame.

Quanto ao Egito, ao menos Salah marcou o seu gol, embora sua seleção esteja quase eliminada. Uma pena que tenha disputado a Copa sem as condições físicas ideais por conta da lesão sofrida na final da Champions League.

Lance do jogo entre Rússia e Egito, pela segunda rodada

Festa africana! Senegal faz bonito na estreia

Jogadores de Senegal festejam o primeiro gol contra a Polônia. Foto: Fifa/Divulgação

Em mais um jogo movimentado nesta terça-feira, outra surpresa no grupo H, o último da Copa do Mundo. Senegal, que só havia participado de uma Copa na história, e 2002, volta à disputa e vence a Polônia por 2 a 1, apresentando um futebol consistente, embora os dois gols tivessem saído em falha do adversário, especialmente no segundo gol.

E os senegaleses repetem o feito daquela, Copa, quando estrearam com vitória sobre a França.

De manhã, o Japão já havia surpreendido a Colômbia. Mas, no caso deste jogo das 12h, a surpresa não foi tão grande assim. O futebol africano sempre vem apresentando evolução. E os poloneses parecem praticar o mesmo jogo há 40 anos.

Os africanos, com esta vitória, entram na briga pela vaga à segunda fase. E, de repente, podemos até ter uma surpresa nesta chave, com Senegal e Japão eliminando um europeu e um sul-americano.

Festa japonesa em um jogo bem movimentado

Carlos Sánchez, defensor colombiano, foi expulso aos seis minutos de jogo, contra o Japão, após meter o braço na bola e cometer um pênalti. Além da desvantagem numérica, ainda viu o time asiático abrir o placar com Kagawa. Virou um drama para os sul-americanos e mudou todo o rumo do jogo.

O Japão venceu por 2 a 1 com todos os méritos. E, independente do resultado, foi um jogo muito legal de se assistir. Uma partida aberta, com muitas chances de gol.

No primeiro tempo, os nipônicos não souberam administrar a vantagem  numérica e levaram o gol de empate, em cobrança de falta de Quintero. Os colombianos foram melhores e tiveram chance de virar.

Mas, depois do intervalo, o técnico japonês deve ter conversado bastante com os jogadores. E conseguiram arrumar a casa. A partir daí, o Japão voltou bem melhor, dominou o jogo e conseguiu a virada com Osako. Poderia ter feito até mais.

A Colômbia pode se complicar e muito com esse resultado. O bom time da América do Sul agora tem quem vencer a Polônia e Senegal, dois adversários que não são potências, mas que certamente vão dar trabalho.

E os japoneses, que também vão enfrentar esses dois adversários pela frente, podem conquistar uma classificação para as oitavas de final. Uma grata surpresa.

Colômbia e Japão estrearam nesta terça-feira. Foto: Fifa/Divulgação

Kane viveu uma tarde inspirada e ajudou o English Team

A Inglaterra passou sufoco contra a Tunísia, mas venceu por 2 a 1, com um gol no final da partida. E os dois tentos do English Team foram marcados por um único atleta: Harry Kane. O craque do Tottenham Hotspurs abriu o placar no início do jogo e, depois do empate tunisiano em um pênalti infantil, os ingleses foram buscar a vitória no final.

Apesar das dificuldades, a Inglaterra foi superior durante a maior parte do tempo e mereceu vencer. Ao menos, não perdeu pontos diante de um time mais fraco, ao contrário de Brasil e Argentina, por exemplo.

Tudo indica que os ingleses vão se classificar com tranquilidade neste grupo G. Até porque o próximo adversário é o Panamá, que na estreia contra a Bélgica mostrou muita fragilidade

Kane fez os dois gols da Inglaterra. Foto: Fifa/Divulgação

Bélgica mostra força contra o novato Panamá

Um dos três gols marcados pela Bélgica contra o Panamá nesta segunda-feira

O Panamá até tentou equilibrar as ações no primeiro tempo, quando conseguiu segurar o empate contra a Bélgica. Mas, depois do intervalo, não teve jeito. A qualidade individual dos belgas foi gritante. E os gols foram saindo com naturalidade na estreia das duas equipes na Copa do Mundo da Rússia. O placar final de 3 a 0 refletiu a superioridade do time europeu, contra um rival que ainda não tem experiência em competições dessa importância.

Para os panamenhos, o jogo era especial. Afinal de contas, é a primeira participação deles na história das Copas. Já a Bélgica, com um time repleto de estrelas, como Hazard, Mertens e De Bruyne, quer ir longe no Mundial.

A tendência, neste grupo, é que Bélgica e Inglaterra se classifiquem com tranquilidade sobre Panamá e Tunísia.

Algoz da Itália, Suécia pode complicar a Alemanha também

A Suécia foi a grande responsável por deixar a Itália de fora da Copa da Rússia, depois de 60 anos sem que isso acontecesse com os italiano. Mas, na Copa deste ano, os suecos mostraram que estão longe de empolgar.

A vitória por 1 a 0 sobre a Coreia do Sul, nesta segunda-feira, veio com um gol de pênalti no segundo tempo, mais uma vez com o auxílio do árbitro de vídeo.

A Suécia foi melhor durante a maior parte do jogo, mas também sem muita empolgação. Os sul-coreanos, como sempre, apostam na correria, mas sem objetividade.

Agora, na próxima rodada, vai ter um jogão daqueles: a Suécia vai encarar a Alemanha, em jogo que é uma decisão para os atuais campeões do mundo, já que perderam para o México por 1 a 0 no domingo.

Ou seja, a Suécia, que deixou a Itália fora da Copa, pode também eliminar a Alemanha, em caso de nova vitória. E o jogão é sábado, às 15h. Imperdível!

Lance do jogo entre Suécia e Coreia do Sul, nesta segunda-feira. Foto: Fifa/Divulgação