Brasileirão começa com Flamengo favorito; Grêmio, Palmeiras e Corinthians correm por fora

Maracanã

Vai começar o Campeonato Brasileiro 2020. Não da forma como gostaríamos, já que estamos em plena pandemia de coronavírus e com mais de 1.000 pessoas morrendo por dia no país por conta da doença. Mas, no paralelo mundo do futebol, com os estádios vazios, a bola vai rolar. E, dentro de campo, o Flamengo já começa o torneio como amplo favorito ao segundo título consecutivo.

Tecnicamente, a equipe carioca é muito superior aos demais clubes. Claro que muita coisa pode acontecer. Até mesmo o novo técnico, Domenec Torrent, pode não dar ‘liga’ e a equipe naufragar na competição. Porém, é pouco provável. E, quem quiser brigar pelo título com o rubro-negro, vai ter que lutar pelos três pontos desde o início, com o máximo de aproveitamento. Quem quiser chegar na frente, não vai poder se dar ao luxo de colocar reservas nas primeiras rodadas para ir buscar depois. Aí, o Flamengo provavelmente já vai ter disparado.

Quanto aos possíveis concorrentes, entendo que o Grêmio hoje é o clube que tem mais potencial de brigar, mesmo perdendo o atacante Everton Cebolinha para o Benfica de Portugal. Mas o clube gaúcho, que mantém a mesma base há cinco anos, é um time bem entrosado e que parece sempre jogar com a ‘faca nos dentes’.

O Palmeiras, que no ano passado não conseguiu nem chegar ao vice-campeonato, desta vez está ainda mais enfraquecido. Mesmo com uma base mantida e com bons jogadores, perdeu Dudu, sua principal referência, e ainda não mostrou um futebol convincente neste atípico ano de 2020. Mesmo com o alto investimento, não inspira tanta confiança em campo.

Outro que pode surpreender e brigar em cima é o Corinthians. Apesar do início ruim na temporada, o time do técnico Tiago Nunes ganhou corpo e, independente do resultado da decisão do Campeonato Paulista (a coluna está sendo escrita antes da partida), é um time que merece respeito. Vejo o alvinegro hoje exatamente como estava em 2017, com Fabio Carille, quando tinha um futebol defensivo consistente e que acabou sendo campeão brasileiro com folga – embora muitos duvidassem.

Muito se fala do Atlético-MG, que investiu pesado e de forma até arriscada nesta temporada. Mas, apesar do excelente técnico Jorge Sampaoli, não vejo o Galo com poder para desbancar o Flamengo e nem mesmo Grêmio ou Palmeiras. As contratações foram muitas, mas não tem jogadores realmente de peso. Falta um atacante mais qualificado, por exemplo, e a defesa se mostra altamente instável, como tem sido no Campeonato Mineiro.

***

Entre os demais times paulistas, o São Paulo e o Santos se mostram distantes da briga pelo título. O Tricolor do Morumbi parece não ter confiança e, como já disse antes, se mostra um time ‘sem alma’ dentro de campo. O trabalho do técnico Fernando Diniz está longe de empolgar os torcedores e, se a equipe brigar por vaga na Libertadores, já vai ser uma grande conquista.

O Santos vive uma das piores crises internas de sua história. O vice-campeão brasileiro do ano passado perdeu o técnico Sampaoli e não deu certo com Jesualdo Ferreira. Agora, aposta novamente em Cuca que vai para sua terceira passagem pelo clube e tenta reerguer o Peixe. A equipe perdeu também muitos jogadores importantes e se mostrou bem abaixo dos rivais no Paulistão. O Santos, um clube gigante em todos os aspectos, este ano vai precisar contar muito com o peso da camisa para evitar uma campanha vexatória. Ao menos é o que parece neste início de competição.

E, para finalizar, não podemos deixar de falar do Red Bull Bragantino. Com investimento pesado, volta à elite nacional depois de 22 anos. E o vice-campeão brasileiro de 1991 é o novo milionário do futebol brasileiro. Pode fazer, sim, uma boa campanha, já que tem um elenco bem montado e encorpado. Mas, neste começo, não acredito que possa brigar por títulos. Mas certamente vai dar trabalho aos grandes.

***

E, finalizando, entre os outros clubes considerados grandes do futebol brasileiro, não vejo nenhum deles em condição de brigar por títulos. Vasco e Botafogo estão com times muito abaixo da média dos demais e correm o risco de brigar na parte de baixo da tabela. O Fluminense, que está um pouco acima, conta com o competente técnico Odair Hellmann, que fez grande trabalho no Internacional e poderá ajudar o Flu. Mas longe de brigar pelo título do Brasileirão. Não tem elenco para isso.

E o Internacional de Porto Alegre, apesar do técnico Eduardo Coudet, que é bastante capacitado, não tem um elenco à altura de vestir a camisa do clube que em outros tempos já desbancou o poderoso Barcelona. Assim como o São Paulo, se o Colorado conseguir uma vaga na Libertadores, já vai ser de grande tamanho pelos jogadores que têm atualmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *