E lá vem eles de novo… virou passeio!

É incrível. O Palmeiras, na primeira fase da Libertadores, perdeu para o Jorge Wilstermann, fora de casa, resultado que inclusive acabou na demissão do técnico Eduardo Baptista. No returno, sofreu para vencer por 1 a 0 com um gol no último ataque da partida.

Depois, nas oitavas de final, o time boliviano eliminou o Atlético Mineiro, vencendo por 1 a 0 em casa e empatando por 0 a 0 no Mineirão, onde o Galo teve uma atuação horrível e sequer ameaçou o Wilstermann de forma real.

Depois, nas quartas de final, aproveitou a altitude de La Paz e sapecou um 3 a 0 no River Plate, da Argentina. Classificação assegurada, certo? Errado. Não é que os argentinos, no jogo de volta, enfiaram 8 a 0, sem dó? E no melhor estilo quatro vira, oito acaba. E estão na semifinal contra outro argentino, o Lanús. Ou seja, o país já tem um representante na final da Libertadores.

Capa do diário argentino ‘Olé’ desta quinta-feira sobre a classificação do River

****

E o Brasil? Apenas o Grêmio segue na disputa e vai encarar o Barcelona de Guaiaquil. E avançou eliminando outro brasileiro, o Botafogo, em dois confrontos equilibrados.

O Barcelona, aliás, conseguiu a façanha de eliminar o milionário Palmeiras e também o Santos. Contra o Peixe, fez uma grande atuação na Vila Belmiro, vencendo por 1 a 0.

Agora, será que o time equatoriano terá a mesma sorte contra os gaúchos, que estão embalados no torneio? Vamos esperar para ver. Se isso acontecer, será mais um vexame brasileiro no torneio.

É difícil até de explicar. O futebol do Brasil tem uma estrutura e um investimento muito acima de todos os outros sul-americanos. Mas não ganha uma Libertadores desde 2013, com o Atlético Mineiro. Depois disso, sequer chegou a uma final.

E segue o baile!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *