O que esperar do esporte em 2018

Ano novo, vida nova! E, claro, em todo início de temporada sempre vêm as previsões e expectativas sobre como será o desempenho das equipes na temporada. Em termos de futebol regional, o Taubaté vive o melhor momento. O Burro da Central vai disputar a Série A-2 a partir do dia 17 e, ao menos no papel, vem credenciado a brigar pelo acesso. Apostou no técnico Alberto Félix que subiu com o Bragantino e contratou jogadores cascudos para a divisão. Além disso, agora tem o grande ídolo Gilsinho como presidente, o que também pode ser uma boa referência e ajudar no bom relacionamento com os jogadores.

O Manthiqueira de Guaratinguetá, pela primeira vez, vai disputar a Série A-3 do Paulista, após vencer a Quarta Divisão no ano passado. O time do idealista presidente Dado Oliveira é uma incógnita em campo. Por ser a primeira participação, fica a expectativa de como será o comportamento do time em campo em uma divisão mais equilibrada.

E o São José, que só entra em campo em abril, para a Quarta Divisão, também vive uma incógnita, já que o torneio é sub-23 e sempre fica difícil de prever como vai se comportar em campo. Mas o fato do ex-presidente Robertinho da Padaria estar ajudando e ter conseguido já algum aporte financeiro, é um importante alento para a Águia do Vale, que tenta sair do inferno da última divisão do estado.

**********

Entre os times grandes do estado, o Corinthians, atual campeão paulista e brasileiro, tem de tudo para fazer outra grande temporada. Embora tenha perdido alguns jogadores importantes, tem condições de repor as peças e brigar por títulos na temporada. O técnico Fábio Carille está mais experientes e, o mais importante, o Timão já tem um padrão tático bem definido. É um sério candidato ao título da Copa Libertadores da América deste ano.

O Palmeiras, que no ano passado ficou sem títulos, apesar do investimento milionário também vem forte para a temporada 2018. O Verdão fez algumas contratações pontuais e tenta rivalizar com o Timão na competição sul-americana. Certamente, virá forte na briga por títulos. A grande questão é saber se o técnico Róger Machado vai dar conta do recado e vai conseguir corresponder às expectativas.

Na Vila Belmiro, o Santos também está na briga pela Libertadores. Porém, com menos recursos e um time sem atletas importantes, como o atacante Ricardo Oliveira, que foi para o Atlético Mineiro. O Peixe vai precisar se reforçar, caso contrário, terá muitas dificuldades na temporada. E será uma boa oportunidade para avaliar a real capacidade do técnico Jair Ventura, que mostrou um bom trabalho no Botafogo.

E o São Paulo, que manteve  o técnico Dorival Júnior, aposta no nome de Raí, novo diretor de futebol, para tentar voltar a vencer campeonatos importantes. Depois que faturou o título brasileiro de 2008, há quase dez anos, o Tricolor não conseguiu mais nada de importante, apenas a Copa Sul-Americana de 2012, que os próprios torcedores nem valorizam muito. E, se quiser ganhar títulos em 2018, terá que mudar muito a postura dentro de campo.

*****************

Fora do estado, o Cruzeiro chama a atenção pelas contratações, além de ter um técnico de primeira linha, Mano Menezes. É outro fortíssimo candidato ao título da Libertadores. Ainda mais agora que levou o atacante Fred, que estava no rival Atlético-MG.

O Grêmio, atual campeão da América, perdeu um pouco de força, mas segue com uma base montada e vai dar trabalho na temporada. O Flamengo, que se esperava muito no ano passado, agora aguarda a definição do futuro do técnico Reinaldo Rueda. O time carioca, que investiu alto em 2017, quer agora traduzir isso em títulos em 2018.

Ainda no Rio de Janeiro, o Vasco sonha com um bom ano, já que novamente vai disputar a Libertadores, embora na fase eliminatória ainda. O cruzmaltino espera novos ares com a nova diretoria do clube. Já Botafogo e Fluminense, com limitações financeiras, devem ter um ano de dificuldades.

Ainda entre os grandes do futebol brasileiro, o Atlético-MG, que perdeu Robinho, Fred e companhia, aposta na reformulação do elenco e no enxugamento da folha salarial, proposta pelo novo presidente, Sérgio Sette Câmara. No papel, o time continua bom, problema está no comando técnico: Oswaldo Oliveira, definitivamente, já mostrou que não tem tanto cacife assim e não deve durar muito tempo no clube.

E, no Rio Grande do Sul, o Internacional, campeão do mundo e bicampeão da América, vive dias difíceis. Apesar do retorno à Série A do Brasileirão este ano, o time subiu com dificuldades e, pior, pouco se reforçou para a atual temporada. Ao menos teoricamente, vai novamente brigar contra o descenso.

******************

E não vamos esquecer da Fórmula 1. Este ano será triste, pois é o primeiro desde 1970, sem nenhum brasileiro na pista, após a aposentadoria de Felipe Massa. Porém, com dois tetracampeões do mundo em condições de brigar pelo título (Lewis Hamilton e Sebastian Vettel), a temporada promete ser emocionante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *